Peelings na Estética

Peelings na Estética

Mais uma vez aqui no blog, vou escrever sobre um assunto que, ao mesmo tempo soa antigo… é tão atual na área da estética: Peeling.

Todo esteticista em sua formação estuda sobre peeling. E o que sabemos é que existem vários peelings no mercado da estética, o que muitas vezes torna difícil a escolha do peeling que seja adequado para a cliente. Existe tantas marcas, tantas promessas… tantos protocolos… como escolher o correto? ou ideal para cada cliente?

Primeiro vamos começar do início:

  • Definição de peeling;
  • Tipos de peeling que encontramos na estética;
  • O que é necessário para o sucesso de um peeling;
  • Possíveis complicações e contra-indicações do Peeling;

Continue lendo …

Peeling definição

Os peelings são abrasões executadas sobre a pele, com a finalidade de renovar a capa córnea.

Peeling Químico

Peelings químicos são substâncias que são denominadas: agentes esfoliantes, que promovem a renovação celular no tecido.

Quanto à profundidade do Peeling:

Os esteticistas trabalham com o peeling muito superficial, nomeclatura inserida nas literaturas a partir de 2010: Peeling muito superficial trabalha:

  • Remoção do estrato córneo.
  • Não cria lesão abaixo do estrato granuloso.

O tipos de Peeling de acordo com a abrasão:

Peeling Físico

É um esfoliante que contém particulas abrasivas (granulos) que geralmente são:

  • Semente de Apricot;
  • Polietileno;

Peeling Enzimático – Promove esfoliação através da ação das células proteolíticas;

  • Papaína – extraída do mamão;
  • Bromelina – extraída do abacaxi;

Atenção: Os peelings enzimáticos devem ser evitados em peles que estejam fazendo uso de peeling químico (principalmente peeling que o dermatologista indicou), e também em peles que tenha feito procedimento com laser.

O único peeling enzimático que pode ser associado ao peeling químico no mesmo dia é o peeling enzimático que contém enzima de abóbora e gluconalactona. (porque a gluconalactona é um sintético do ácido lactico e do ácido glicólico) é um polihidróxiácido.

Porém !!!! o peeling enzimático de abacaxi não combina com a enzima da abóbora !!! então atenção na escolha do peeling químico no mesmo dia do enzimático. Na dúvida utilize um peeling enzimático de abóbora e o peeling químico com enzima da abóbora e gluconalactona.

Peeling Químico

Peeling químico fonte: google imagens.
Peeling químico fonte: google imagens.

– são os ácidos, também chamados de agentes quimio – esfoliantes, na estética alguns mais usados são:

  • ácido mandélico – derivado de amendoas amargas, tem alto peso molecular, penetra lentamente na pele, clareador, muito usado em hipercromias, melasma, hipercromias pós-inflamatórias…
  • ácido glicólico – extraído da cana-de-açúcar, esfoliante e regenerador;
  • ácido láctico – extraído do leite, esfoliante e renovador.
  • ácido salicílico – derivado de frutas cítricas, anti-inflamatório, muito utilizado em peles acneicas.

Peeling Mecânico

São os aparelhos usados, que promovem uma esfoliação na pele, um pouco mais abrasiva do que os peelings físicos.

  • Peeling de Diamante;
  • Peeling de Cristal;
  • Peeling Ultrassônico;

Peeling FOTOBIOMODULADOS / LED

são peelings com uma tecnologia exclusiva, dão resultados através da associação com o LED.

Para que haja o clareamento da pele, o produto precisa ser estimulado com a luz do LED.

A pele tem atração pela luz, a luz do LED faz com que o peeling permeie melhor, a luz interagindo com o produto peeling Fotobiomodulado estimula os cromóforos da pele;

Cromóforos são moléculas da pele que absorvem a luz;

Um dos cromofóros mais importantes é a Melanina que absorve tanto luz UVA como UVB. (Não são todos os cromóforos da pele que são capazes de absorver a luz e iniciar uma reação foto-química).

A luz UVA e UVB age sobre os queratinócitos;

A partir da absorção da luz UV pelos nucleotídeos há formação de fotoprodutos no DNA.

Inicia-se então as reações foto-químicas que levam à alterações bioquímicas no tecido;

Produtos Fotoativados são diferentes de produtos Fotopermeáveis:

Fotoativados são aqueles produtos que tem uma função normal, ex. fluidos de colágeno, que são fotossensíveis

quando não são removidos da pele, sobre qualquer claridade, sol ou outras lâmpadas pode manchar a pele. (sem uso de fps).

Produtos Fotopermeáveis são aqueles cuja sua principal ação só é eficaz com a presença de uma luz, LED por exemplo, a luz de LED que faz a foto-ativação dos princípios ativos.

LED fonte google imagens.
LED fonte google imagens.

Dei uma dica durante a palestra na Hair Brasil sobre despigmentantes… Quando trabalhamos com Despigmentantes eles igualam o tom na pele e não clareiam.

O que “Clareia” são agentes branqueadores, como por exemplo: clareamento dental.

Só lembrando que despigmentantes não devem ser associados ao LED.

Na estética existem peelings químicos fotopermeáveis que são associados ao LED.

O que usei é o de ácido mandélico fotopermeável.

O produto fotopermeável é um produto exclusivo desenvolvido para ser usado com o LED. Não é pra sair usando LED por cima dos ácidos… Se você tem dúvidas sobre despigmentantes pesquise sobre esses ácidos !

O protocolo facial com uso de LED que foi feito na Palestra da Hair Brasil sobre associações de Peeling:

1) Higienização da pele – sabonete com ácido glicólico e gluconalactona.

2) Esfoliação física – Esfoliante físico: peeling de cristal com esferas de quartzo branco e polietileno.

3) Tônico pré-peeling – Sálvia e Hamamélis.

4) Fotopermeação – aplique 6 a 10 gotas do fluido fotopermeável com Ácido Mandélico e Hexylrecorcinol. Use com equipamento de LED na cor azul, e siga as recomendações de programação do fabricante. Depois remova o ácido.

5) Peeling Combinado – Aplique de 6 a 8 gotas de Peeling químico com enzima da abóbora, gluconalactona e ácido láctico.

6) Área dos olhos com Lipohidroxiácidos lático, salicílico, polihidroxiácidos, gliconalactona e ácido ferúlico nanoparticulado;

7)Hidratação com ácido Hialurônico;

8) FPS.

Indicação do protocolo 1 x por semana 10 sessões. Pode ser realizado em todos os fototipos de pele;

Indicado para Hipercromias no geral, inclusive Hipercromias pós traumáticas, como o da imagem acima: foi uma queimadura de óleo de cozinha. A imagem mostra 6 sessões, por indisponibilidade da cliente não foi possível terminar o protocolo. Mas é possível observar o clareamento no local.

Peeling Químico Fotobiomodulados

Cromóforos / Ativos fotoestimulados:

Cromóforos são grupos funcionais capazes de absorver radiação (luz), com capacidade de modificar sua molécula original.

Os ativos fotoestimulados (cromóforos) são chamados assim pois sua estrutura química passa por uma ativação quando fica exposto à radiação de comprimento de ondas específicas. Isso acontece por que a luz gerada pelos leds/laser penetra nas substâncias, e essas absorvem a luz. Essa absorção de fótons promove eficácia na fototerapia se associada a cosmecêuticos específicos, promovem também o metabolismo celular.

Esquema que representa as substâncias fotoestimuladas:

Síntese proteica e diferenciação celular

Como reage a base que é Fotoestimulada?

Primeiro acontece a Foto-Recepção por ativos cromóforos / Ativos cromóforos – depois há a Tradução de sinal e amplificação – em seguida: acontece a Foto-Resposta Induzida que dá os efeitos cutâneo visíveis.

Saiba mais sobre a Fototerapia:

Toda terapia que contém radiação eletromagnética com diferentes comprimentos de onda e potencia que atinge células específicas em seu tratamento, são chamadas de Fototerapia.

Os LEDS (Luz Emitida por Diodo ou processo de fotobiomodulação) e lasers de baixa potencia, também são Fototerapias.

Na estética podem ser usados os LEDS azul tem irradiação no comprimento de onda de 470nm. Âmbar(590nm), Vermelho(660nm) e infravermelho(808nm).

A fototerapia promove o aumento da energia intracelular, promove avanço nos tratamentos de acne, rejuvenescimento da pele e manchas.

Nos tecidos o LED age trazendo benefícios, são eles:

  • Aumento na produção de colágeno e elastina;
  • Aumento na síntese e produção de ATP;
  • Aumento da microcirculação periférica;
  • Incremento do efeito bactericida;
  • Hidratação imediata da pele, efeito iluminador e tensor;

A fototerapia não dói, é uma técnica não invasiva (não causa danos a pele).

Não existe restrições ao fototipo e nem ao clima para aplicação (Equipamentos).

Existe algumas contra-indicações, quando não deve ser feita a Fototerapia:

  • Gravidez;
  • Não aplicar sobre preenchimentos e botox;
  • Histórico de câncer no local;
  • Sobre a glândula da tireóide;
  • Glaucoma;
  • Tratamentos com ácido sintetizado a partir da vitamina A, esperar 15 dias;
  • Uso de antibióticos à base de tetraciclinas – esperar 7 dias;
  • Uso de isotretinoína oral – esperar 90 dias.

Os peelings químicos são conhecidos na estética por ter em sua composição ácidos geralmente combinados, usados para tratamentos de acne, rejuvenescimento e clareamento.

Existe também os peelings químicos associados a ativos cromóforos e poli-ácidos que tem proposta de baixa toxicidade e inovação. Promovem renovação celular através da remoção inicial das células mortas, fazendo o seu tratamento ser multifacetado e dinâmico.

Peelings químicos fotobiomodulados:

Adélia Mendonça – http://www.compreadeliamendonca.com.br/kit-home-care-whitening-lumiere-led-mask/p

Bel Col – http://www.belcol.com.br/2013/linha_prof/clari_led.php

Algumas marcas de LEDs disponíveis no mercado da estética

DMC – http://www.dmcgroup.com.br/br/detalhe-produto/estetica/equipamentos/elite-olympus/178

KLD – http://www.kld.com.br/site/endophoton/

Ultrassom facial com LED

Ultrassom facial com LED

Você já viu esse aparelho? Ele não é muito conhecido aqui no Brasil entre as esteticistas, mas tem sim pessoas que usam muito…

O nome dele é: 3 Mhz Ultrasonic Facial Skin Care Photon Rejuvenation 3 Color LED

O LED tem muita importância na estética pois seu uso sobre a pele, faz com que haja um estímulo nas funções metabólicas das células.

Cada cor exerce uma função em especial sobre a pele:

LED Verde – deste aparelho é indicado para a pele mista, melhora a oxigenação das células e ativa a microcirculação local;

LED Vermelho – Pode ser usado em todas as peles, tem ação mais profunda, também promove um estímulo às células, aumenta o aquecimento local, promove a firmeza da pele, diminuindo as linhas de expressão; Indicado para tratar as linhas de expressão ao redor dos olhos e na região frontal da face (testa);

LED Azul – tem a função de acalmar a pele, controla a produção de sebo da pele, indicado também para peles acneicas;

Indicações desse aparelho:

  • Melhorar a circulação sanguínea local;
  • Diminuir a oleosidade e controlar a acne;
  • Minimizar os poros;
  • Anti-rugas;
  • Dermatite;
  • Acne;

Imagem abaixo mostra um pouco o efeito do ultrassom juntamente com o LED sobre a pele:

Imagem fonte: (http://realtop.cc)

Ao expor a luz sobre a superfície das células esta, fornece energia para as mesmas, o uso das propriedades deve ser escolhida de acordo com a cor do LED.

Gostou do aparelho? Você já usa? deixe seu comentário. Estude mais sobre as funções do LED na estética, em breve mais posts sobre esses temas aqui.

Fonte do post: http://realtop.cc/goods.php?id=386