A descoberta da Drenagem Linfática Manual

A descoberta da Drenagem Linfática Manual

Esse post tem como finalidade ressaltar a importância da drenagem linfática manual, e colocar aqui alguns nomes importantes, autores e estudiosos que descobriram o sistema linfático, abordaram a técnica de drenagem linfática manual.

Espero que você leitor goste, e aprenda um pouco mais sobre essa técnica, que é tão importante para nós profissionais esteticistas e demais profissionais que realizam a drenagem linfática manual.

Aqui ficará evidenciado os trabalhos desenvolvidos por diversos autores, sem defender essa ou outra técnica, número de manobras ou sequência, será abordado estudos sobre a fisiologia do sistema linfático.

Os principais estudiosos do sistema linfático foram: Hipócrates de Cós, que denominava a linfa de sangue branco, e Herófilo (anatomista grego, 300 a.C.).

Hipócrates falava sobre o “sangue branco”, Aristóteles, Herófilos e Erasistrato mencionaram “certas estruturas anatômicas que geram fluido incolor” em seus escritos. Herófilos citou ainda: vasos (espécie de glândulas não definidas), hoje chamamos de gânglios linfáticos.

No século XVII Gaspar Asellius de Milão, foi professor de anatomia em Pávia de 1581 a 1627, estudou os vasos linfátivos intestinais do cã0.

Em 1647, Jean Piquet, estudando descobriu e pontuou a localização da cisterna de Picquet, termo hoje adotado como cisterna de quilo, (nomeclatura anatômica internacional).

O termo linfático ocasionou grande polêmica entre dois importantes pesquisadores que tentavam assumir a sua paternidade, o que chamaríamos hoje de patente, eram eles: Olof Rudbeck (1616 – 1680) e Thomas Bartolin.

Todas as referências feitas nesse post possuem direitos autorais, encontram-se nos livros:

  • Passo a passo da drenagem linfática manual em cirurgia plástica – Neí Maria Garcia.
  • Drenagem Linfática Manual teoria e prática – Ary Elwing e Orlando Sanches.